1º transplante de fígado bem-sucedido do Brasil: Dr. Sérgio Mies relembra como foi

Médico participou do 1º transplante de fígado bem-sucedido no Brasil, realizado no Hospital das Clínicas de São Paulo, em 1985

O Dr. Sérgio Mies conta que integrou a equipe médica que realizou o primeiro transplante de fígado bem-sucedido no Brasil. Ocorrido em 1º de setembro de 1985, a cirurgia consistiu em dar um novo fígado à estudante de direito de 22 anos, Maria Regina Mascarenhas. Na operação que durou mais de 23 horas ela recebeu o órgão de um homem que faleceu em um acidente.

1º transplante de fígado bem-sucedido no Brasil

A intervenção foi comandada pelo cirurgião e professor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Silvano Raia. O médico convocou Mies e outros 19 especialistas para se revezar durante a operação.

Com o sucesso da cirurgia, o Brasil entrou para um seleto grupo de países na realização de transplantes hepáticos. Nos anos 1860, apenas os Estados Unidos, Alemanha, Holanda e Inglaterra possuíam programas constantes deste tipo de transplante. Além disso, a equipe foi reconhecida como pioneira da técnica de transplante de fígado na América Latina.

Dr. Sérgio Mies relembra que no dia da operação havia uma bomba de transfusão de sangue que continha cinco litros de sangue. No entanto, ele explica que se esta bomba não estivesse ligada, e com a quantidade de sangue devida, a cirurgia não aconteceria.

Mies revela ainda que hoje um transplante de fígado é realizado em menos horas, ou seja, uma evolução de 1985 para cá. Atualmente, a intervenção dura, em média, três horas e meia, podendo chegar ao máximo de quatro horas. Mas 36 anos atrás esta mesma cirurgia durou 23 horas e 30 minutos.

Hoje também “não existe mais aquela bomba com cinco litros de sangue”. Isso porque “50% dos pacientes precisam, no máximo, de uma bolsa de sangue e 50% não recebem nada”, complementa Mies.

Primeiro transplante de fígado intervivos

Ainda nos anos 1980, mais especificamente em 1988, foi possível realizar o primeiro transplante de fígado intervivos. Também realizada no Hospital das Clínicas de São Paulo, novamente teve o comando do Dr. Silvano Raia. Na intervenção, parte do fígado de um adulto foi colocado em uma criança.

Até chegar ao sucesso

Antes do sucesso mundial e no Brasil, a técnica de transplante de fígado fracassou algumas vezes.

A primeira vez que se realizou um transplante de fígado no mundo foi em 1963, em Denver, nos Estados Unidos. Sob o comando do médico Thomaz Starzl, a cirurgia não foi bem-sucedida e ainda fracassou mais vezes, culminando na morte de dezenas de pacientes, o que provocou greves de anestesistas na época.

Porém, em 1967, também pelas mãos do Dr. Starzl, finalmente ocorreu o primeiro transplante bem-sucedido do mundo.

Neste mesmo ano, o médico Silvano Raia retornou de Londres como especialista em fígado. Com o desejo de realizar este tipo de cirurgia no Brasil, percorreu durante três meses, oito estados brasileiros a fim de divulgar a técnica para outros médicos. Naquele tempo, foram recrutados profissionais para integrar sua equipe. E alguns deles foram enviados ao Hospital de Pittsburgh, onde estava o Dr. Starzl.

Primeira cirurgia no Brasil

Em 1968, acontece o primeiro transplante de fígado no país, porém, não foi um sucesso, fato que se repetiu por mais quatro vezes até 1972.

A chegada de Mies à equipe de Raia

Mies revela que foi o braço direito de Silvano Raia na bem-sucedida intervenção de 1985. Quando terminou sua residência médica e apresentou sua tese de doutorado na Faculdade de Medicina da USP, em 1973, era raro que algum médico aceitasse atender pacientes com problemas no fígado.

“Quando chegava um paciente com problema no fígado, a maior parte dos médicos saía e ia para outros lugares, porque eles não queriam atender esses pacientes, pois era um momento em que se conhecia muito pouco sobre o funcionamento desse órgão.”

Mas Mies atendia estes casos, tratando de ocorrências como: cirrose, esquistossomose mansônica e hipertensão portal, entre outras.

Descoberta da ciclosporina

Após seis anos da última cirurgia mal sucedida, uma invenção marcou de modo significativo a história dos transplantes no mundo. Em 1978, chegou uma droga imunossupressora, conhecida como ciclosporina. Seu uso permitiu que a capacidade do organismo de combater vírus ou bactérias ficasse menos abalada na comparação com outras drogas.

Primeiro programa de transplante de fígado da América Latina

A partir do uso da ciclosporina, o Brasil conseguiu se preparar para implantar o primeiro programa de transplante de fígado da América Latina, até chegar à primeira cirurgia bem-sucedida em 1º de setembro de 1985.

Mies afirma que de 1985 até agora, já foram realizados 1.200 transplantes de fígado. Além disso, desse número, 170 operações foram realizadas com doadores vivos. Neste caso, “um parente ou uma pessoa muito próxima do doente doa pouco mais da metade do seu fígado para essa pessoa necessitada”.

Recuperação do fígado

O médico diz que apesar da complexidade da cirurgia ela é uma prática segura. Isso porque “o transplante de fígado é um procedimento muito complexo, pois são feitas duas cirurgias ao mesmo tempo e que apresentam, tecnicamente, uma série de diferenças”.

No caso dos intervivos, uma parte do fígado de um doador vivo vai para outra pessoa. Mas, com o tempo, “os dois indivíduos voltam a ter fígados de tamanho normal”. O médico reforça que este fenômeno acontece porque “o corpo regula o tamanho do fígado”.

Com o desenvolvimento desta técnica, que é pioneira no Brasil, o procedimento é capaz de preservar a vida tanto do doador como do receptor após a cirurgia.

Conclusão

Sérgio Mies finaliza dizendo que, hoje o fígado é um dos órgãos mais desenvolvidos dos últimos anos a partir de estudos mais avançados e da capacitação de especialistas.

“Muita gente hoje entende de fígado, muita gente sabe como tratar um tumor, um câncer de fígado, como tratar um paciente com cirrose, com hipertensão portal.”

Segue abaixo a entrevista completa com o Dr. Sérgio Mies:

*Foto: Divulgação/depositphotos