Abertura da Flimar contou com presença de Gilberto Gil

Edição da Flimar deste ano contou com a participação de Gilberto Gil na abertura, na cidade de Marechal Deodoro (Al); outros artistas também prestigiaram o evento

Na tarde da última quinta-feira (31/10), a histórica cidade de Marechal Deodoro, em Alagoas, recebeu uma multidão na abertura oficial da Festa Literária de Marechal Deodoro, a Flimar. O alvoroço todo também girou em torno Fo grande homenageado desta edição, o cantor Gilberto Gil, que acompanhou a cerimônia.

Como foi a abertura da 10ª edição da Flimar

A solenidade de abertura da 10ª edição da Flimar contou com a participação de um grupo de crianças, que são estudantes da rede municipal de ensino. Eles cantaram sucessos de Gil. A cerimônia seguiu com a apresentação de Almir Medeiros, Bruno Palagani, Júnior Almeida e Toni Augusto.

O prefeito da cidade, Cláudio Filho, mais conhecido como Cacau, chamou Gilberto Gil de ministro, em referência ao cargo que o músico já ocupou no extinto Ministério da Cultura (MinC), durante seu discurso de abertura e agradeceu imensamente a presença do artista na Flimar. Ao site Gazeta web, Filho ainda disse:

“Tudo isso só foi possível porque lá atrás, ministro, o senhor assinou o ato que protegeu nossa cidade e fez dela um patrimônio histórico. Saiba que hoje está sendo um dia marcante na minha vida, por poder receber o senhor”.

E concluiu:

“É um momento ímpar para Marechal Deodoro. Então, quero agradecer ao ministro Gilberto Gil por ser decente, por ter tombado a cidade. Essa festa é deodorense, é alagoana”.

Palestra

Após a cerimônia, o público acompanhou a palestra de Ana de Oliveira e Gilberto Gil a respeito do livro “Disposições Amoraveis”, em que Ana comentou:

“Como um dos inventores do tropicalismo ele é da geração que melhor sonhou o Brasil”.

Declaração de Gilberto Gil na Flimar

O cantor mostrou sua alegria na Flimar ao ver como as crianças e jovens de Alagoas tem se inserido de forma significativa na comunidade.

“É uma alegria muito grande poder ver essa juventude e infância participando da vida da significativa comunidade de Alagoas. É a segunda vez que visito a cidade, a vez anterior foi no papel de gestor público. Essa cidade tem sentido profundo de patrimônio. Ela tem quase a idade do País e essa memória precisa estar presente na vida brasileira. Estamos cada vez mais necessitados de ter uma noção desse papel cultural e social”.

Fonte: site Gazeta Web

*Foto: Divulgação / Felipe Nyland