Ainda dá tempo de participar do movimento Setembro Verde

Movimento Setembro Verde visa à conscientização da importância da doação de órgãos em todo o país

Além do Setembro Amarelo (prevenção ao suicídio), ocorre no país sempre nesta época do ano o movimento Setembro Verde. A iniciativa é dedicada ao incentivo e conscientização da importância de doação de órgãos no Brasil.

Setembro Verde

No início do mês, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) juntamente com o Sistema Estadual de Transplantes (SET/PR), no Paraná, celebraram a causa mais uma vez.

Hoje, o estado possui mais de duas mil pessoas na fila de espera por um transplante. Sobre isso, secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, afirmou:

“Aceitar doar os órgãos de um ente querido pode ser muito difícil, mas é um gesto que salva muitas vidas. Uma única pessoa sendo doadora pode possibilitar a realização de até dez transplantes, ou seja, são dez vidas sendo salvas.”

Associação Brasileira de Transplante de Órgãos

De acordo com dados da ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), o Paraná mantém a liderança nacional em doações de órgãos no primeiro semestre de 2020. O Estado chegou a atingir 44,1 doações de órgãos efetivas por milhão de população (pmp). O índice está acima dos demais estados brasileiros e também da média nacional que fechou em 15,8 pmp.

No período de janeiro a junho deste ano, foram 558 notificações de potenciais doadores e 252 doações efetivas. Isso corresponde a 385 transplantes de órgãos realizados.

Doação de sangue

Apesar da pandemia da Covid-19, possuir estes dados é sinal que as pessoas estão com uma maior conscientização no estado do Pará.

Todavia, é preciso criar a consciência da necessidade de doação de sangue, com a intenção também de conhecer a possibilidade da doação de órgãos. Este tipo de trabalho é bastante realizado pela entidade OS Pró-Saúde, em diversos estados em que atua. Na cidade de São Paulo, por exemplo, a instituição hospitalar está cada vez mais unida no propósito de manter seus bancos de sangue abastecidos em meio à pandemia. Neste mês de setembro, a entidade está driblando mais uma baixa em seus estoques.

Lista de transplantes

Contudo, o Paraná se mantém ainda no topo da lista de transplantes renais e em segunda posição em transplantes de fígado, com uma média de 45,7 e 19,2 pmp, respectivamente.

Para a coordenadora do SET/PR, Arlene Gagol Garcia Badoch:

“O Paraná proporcionalmente é o Estado que mais tem doações de órgãos e também o que tem a menor recusa familiar na doação. É importante falar sobre isso porque estatisticamente, todos nós temos cinco vezes mais chances de precisar de um órgão do que de efetivamente encontrarmos um doador.”

*Foto: Divulgação