campo grande completa 120 anos neste mês
História

Campo Grande completa 120 anos neste mês

A comemoração da cidade de Campo Grande terá um sabor a mais com bolos que irão ao forno com base em receitas escritas em 1973 e que eram feitos pelas matriarcas de famílias tradicionais

No dia 26 de agosto Campo Grande completa 120 anos e para comemorar a data bolos que eram produzidos por matriarcas de famílias tradicionais na década de 1970 irão ao forno. Estas mulheres foram uma espécie de Bandeirantes de seu tempo, assim como um grupo de escoteiros.

Em 1973, elas montaram um livro de receitas para descomplicar a rotina na cozinha, especialmente em função do grande volume de visitantes que apareciam em suas casas.

Naquele tempo, a obra foi comercializada para viabilizar a construção da sede do grupo. Três anos depois os direitos foram doados ao Educandário Getúlio Vargas de Campo Grande, na intenção do espaço arrecadar recursos. Desse montante compraram um fogão, que existe até hoje no local.

Comemoração de Campo Grande nada light

Os bolos em comemoração ao aniversário da cidade de Campo Grande contêm receitas de vovó. Elas foram reproduzidas igualmente como as autoras as recebiam. Portanto, o conteúdo mostra alguns segredinhos de execução, desde a utilização de latas para desenformar o bolo até o jeito certo de peneirar a gema.  

Participantes do livro de 1973

Integrantes da diretoria do grupo de Bandeirantes e amigas que doaram suas receitas integram a obra de 1973. As receitas foram assinadas por matriarcas de famílias tradicionais de Campo Grande, como: Baís, Correa da Costa, Maksoud, Naser, Palhano Maiolino e Teperman.  

Segundo Nelly Maksoud Rahe, presidente do Educandário e que também assina as receitas:

“A maioria das participantes já faleceu e as que estão vivas, estão doentes. Mas foi um livro para sustentar a entidade”.

Portanto, pelo valor histórico que a obra agrega e pelo aniversário de 120 anos da cidade de Campo Grande, foi decidido resgatar a memória dessas mulheres, além de honrar as receitas mais tradicionais preparadas por estas bandeirantes.

Bolo da Madá

A sede Bolo da Madá será o local responsável pela preparação de três bolos de receitas do livro da década de 1970. Parte das vendas será destinada ao Educandário Getúlio Vargas. Além disso, também serão comercializados dois volumes da famosa obra de Campo Grande, que foram relançadas em 2004. As aquisições podem ser feitas na própria sede.

De acordo com Lizandra Pasqualotto, sócia-proprietária do Bolo da Madá, a intenção da iniciativa é celebrar a história de Campo Grande. Essas raízes são carregadas de amor, sabores, tradição e solidariedade. Lizandra é nora de Milvia Nasser, que afirma que depois de sua sogra, a obra foi integrada aos enxovais da família e repassada a filhas, noras e netas.

Como a maioria das receitas dos bolos são versões recheadas, Lizandra explica que para as festividades da cidade resolveram optar pelas opções simples.

A sogra dela, Milvia Nasser, complementa:

“Eu era a presidente das Bandeirantes e fizemos o livro de receitas para construir a sede das bandeirantes. Assinaram as receitas as integrantes da diretoria e do conselho do grupo, mas também recebemos textos de amigas. Depois, em 1973, passamos para a Nelly Maksoud Rahe, do Educandário”.

Vendas

Cada volume do relançamento da obra será vendido por R$ 40 e o dinheiro arrecadado irá inteiramente para o Educandário.

Lizandra conta que a ideia de produzir os bolos do livro de 1973 foi sua e ela conversou com sua sogra que logo achou boa esta iniciativa. Por fim, Nelly, presidente do Educandário também aprovou a ideia e a colocaram em prática.

Ainda nesta semana, sairão receitas do bolo de Mel, que é assinada por Lívia Maksoud, mãe de Nelly; o bolo Fubá com Milho, de Célia Teperman; o Imperatriz Dona Eugênia, de Ascina Siufi; e o bolo Primavera, de Eliete Palhano. Mais 12 receitas de bolos serão reproduzidas até o final de dezembro.

Fonte: Campo Grande News

*Foto: Divulgação

Postagens relacionadas

Projeto Oficinas do MAM-BA marca 40 anos de contribuições de Lina Bo Bardi

Município Assessoria

Jardim Botânico vira tema de podcast no Rio

Município Assessoria

Primeira fábrica de vagões ferroviários do país ganha exposição

Município Assessoria

MAM-BA: reforma pode ameaçar projeto de Lina Bo Bardi

Município Assessoria

Redes sociais postam curiosidades do Museu Oscar Niemeyer

Município Assessoria

Navio da Revolta da Armada será estudado por decisão do Iphan

Município Assessoria