Consórcio do Grande ABC rejeita rodízio na região

O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC rejeita rodízio na região. O anúncio ocorreu nesta terça (12). A empresa afirmou que, neste momento, não vai adotar o sistema de rodízio 24 horas e em dias alternados, como o que entrou em vigor, ontem (11), em São Paulo. A decisão política foi divulgada após reunião virtual entre os sete prefeitos das cidades da região paulista.

Grande ABC rejeita rodízio

Grande ABC rejeita rodízio

Existia a expectativa de que o colegiado adotasse a restrição imposta pelo prefeito Bruno Covas (PSDB), na capital. Desde ontem, veículos passaram a ser monitorados 24 horas. Só é permitida a circulação dos mesmos com placa par (0, 2, 4, 6 e 8) em dias pares e os de placa ímpar (1, 3, 5, 7 e 9), em dias ímpares. A medida visa ampliar o isolamento. No primeiro dia de operação, a CET (Companhia de Engenharia de Trafego) registrou um quilômetro de congestionamento, contra 11 quilômetros medidos na segunda-feira passada (4). Além disso, o secretário estadual de Transportes, Alexandre Baldy, afirmou que a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e o Metrô registraram aumento do número de passageiros entre 12% e 15%. Usuários, no entanto, relataram superlotação dos vagões, principalmente na Linha 10-Turquesa, que liga o Grande ABC à Capital.

De acordo com o presidente do colegiado e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (Cidadania), a medida não foi pactuada, em virtude dos prefeitos terem avaliado que isso acarretaria em prejuízos aos funcionários dos serviços essenciais, como explica em declaração ao Diário do Grande ABC:

“Nós já estamos trabalhando com a redução nos transportes públicos e, agora, se aceitássemos esse rodízio com os veículos, os transtornos com esses profissionais poderiam ser ainda maiores.”

Desde o final de março, o Consórcio do Grande ABC definiu, junto ao governo estadual, que o transporte coletivo municipal operaria de segunda a sexta-feira com frota de 50% nos horários de pico (após as 17h), e de 30% nos demais períodos. Já nos finais de semana e feriados, a frota é concentrada em 30% nos horários de maior movimento e de 15% nos demais. Até o momento, a decisão prevalece em toda região.

Além disso, Edgard Brandão, secretário executivo do colegiado, destaca que o movimento nos transportes coletivos na região ainda está dentro do esperado e que o Consórcio do Grande ABC continuará monitorando, na possibilidade deste número aumentar:

“Estamos fazendo controle deste movimento nas sete cidades e um controle intenso. Cada prefeitura está tomando as devidas providências, mas, principalmente, fiscalizando do uso das máscaras e álcool gel.”

Decisão não é definitiva

Apesar da rejeição do rodízio na região neste momento, Gabriel Maranhão explicou que o comportamento dos residentes do Grande ABC em meio à pandemia do novo coronavírus está sendo verificado diariamente.  

Ele ainda ressaltou que a decisão das prefeituras é dinâmica e pode ser reavaliada, caso for preciso. Somada à possibilidade de instituição do rodízio 24 horas, outra alternativa para que as pessoas respeitem o isolamento social seria a adoção do lockdown (bloqueio total), que vem sendo utilizado em diversas cidades do Brasil, finaliza Maranhão:

“Vamos continuar nos baseando nas estatísticas da nossa região e cada ação será pensada com o objetivo de frear a evolução dessa pandemia.”

Fonte: Diário do Grande ABC

*Foto: Divulgação