Hemocentros de Santa Catarina precisam de doações de sangue

Os hemocentros de Santa Catarina informaram que o volume de doares de sangue reduziu nas últimas semanas. Eles encaram isso com bastante preocupação, pois configura uma baixa considerável dos estoques sanguíneos. Houve redução na maioria das tipagens, principalmente nos tipos O+ e A+, que são os mais críticos neste momento.

Hemocentros de Santa Catarina

Entre os fatores que pode ter motivado o estoque baixo de sangue, estão: frio e chuva, conectados à falta de transporte público. Entretanto, a demanda de sangue pelos hospitais, clínicas e ambulatórios, se manteve.

Além de Santa Catarina, outros hemocentros têm enfrentado dificuldades em relação a manter os estoques em nível suficiente de sangue. É o caso do Pará, em que nos meses de maio, junho e julho convocaram os residentes da capital e algumas cidades do interior para doarem sangue, em unidades gerenciadas pela OS Pró-Saúde. Já em São Paulo, uma campanha de doação foi puxada pelo Colégio Marista Glória.

Agendamento prévio

Os locais de doação em Santa Catarina vêm realizando a coleta de sangue com agendamento prévio. Isso tudo em função da pandemia de Covid-19. Portanto, o agendamento pode ser realizado via site do Hemosc, ao clicar na aba “Agende sua doação”, ou ainda por telefone, na aba “Onde doar e horários”.

O que é necessário para doar:

  • Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias;
  • Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade, são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal;
  • O limite de idade para primeira doação é de 60 anos;
  • O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo;
  • Pesar acima de 50 kg (com desconto de vestimentas);
  • Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG., carteira profissional, carteira de motorista, etc.
  • Ter repousado bem na noite antes da doação;
  • Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas 4 horas que antecedem a doação;
  • Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas;
  • Evitar vir acompanhado com crianças sem acompanhantes.

Saiba quem não pode doar:

  • Quem tem ou teve as seguintes doenças:
  • Hepatite após os 11 anos de idade;
  • Lepra (Hanseníase);
  • Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;
  • Doença auto-imune;
  • Doença de Chagas;
  • AIDS;
  • Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);
  • Diabetes;
  • Câncer.

Outras situações:

  • Fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses;
  • Mantém relações sexuais de risco;
  • Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses;
  • Teve contato sexual com parceiro ocasional/eventual nos últimos 12 meses.
  • Pessoas que tenham se deslocado ou que sejam procedentes de países com casos confirmados de infecções pelo SARS-CoV-2 – inaptas para a doação por 14 dias após o retorno destes países;
  • Pessoas que foram infectadas pelos vírus SARS-CoV-2 após diagnóstico clínico e/ou laboratorial – inaptas pelo um período de 30 dias após a completa recuperação (assintomáticas e sem sequelas que contraindiquem a doação);
  • Aqueles que tiveram contato nos últimos 30 dias com pessoas que apresentaram diagnóstico clínico e/ou laboratorial de infecções pelo vírus SARS-CoV-2 – inaptos pelo período de 14 dias após o último contato com essas pessoas;
  • Pessoas que permaneceram em isolamento voluntário ou indicado por equipe médica devido a sintomas de possível infecção pelo SARS-CoV-2 – inaptas pelo período que durar o isolamento (no mínimo 14 dias) se estiverem assintomáticos.

*Foto: Divulgação/James Tavares/Arquivo – Secom