Isolamento social faz cair número de passageiros de ônibus em BH

Medida de isolamento social em função da pandemia do novo coronavírus no país chegou aos transportes públicos, registrando queda de frequência de 74%, segundo a BHTrans; percentual de viagens na cidade caiu para 22%

A medida preventiva de isolamento social para tentar conter a disseminação do novo coronavírus mudou bastante o cotidiano dos habitantes de Belo Horizonte (MG). Ontem (26), pouco mais de 300 mil pessoas utilizaram o sistema de transporte público na capital mineira. Segundo dados fornecidos pela BHTrans, a queda no número de passageiros chegou a 74%, em comparação aos primeiros dias úteis do mês de março, época em que a quarentena ainda não havia sido instalada em todo o Brasil.

Isolamento social durante a pandemia de coronavírus

Antes da quarentena em todo o país, entre os dias 2 e 6 de março, a BHTrans registrou que a média diária de passageiros de ônibus continuou a mesma, de 1,2 milhão. Já na última segunda-feira (23), o índice caiu para 364,8 mil usuários de transporte público. A queda seguiu nos três dias seguintes: 315,8 mil, 311 mil e 300,1 mil.

Nesta semana em BH, aproximadamente 19 mil viagens de ônibus foram realizadas diariamente. Sendo assim, a queda foi de 22%, ao levar em consideração a um dia útil habitual. Nestes últimos quatro dias, a média de passageiros transportados foi menor que 17 usuários por ônibus. Neste caso, a BHTrans reconhece que o baixo índice é devido a maior conscientização da população da capital mineira sobre ficar em casa durante a pandemia da Covid-19, visto que a circulação dos ônibus não teve grandes restrições.

No caso de trabalhadores considerados de áreas essenciais, como os profissionais de saúde, farmácia e supermercados, existem ônibus extras, que foram solicitados para reforçar as linhas do MOVE, nas estações São Gabriel, Vilarinho, Pampulha, Venda Nova, Barreiro e Diamante.

Medidas e recomendações da capital mineira

A prefeitura de Belo Horizonte informou às companhias de transporte coletivo para que nenhuma linha coloque um intervalo maior do que 30 minutos entre as viagens. Apesar da operação em menor escala de horários, a ordem é de que nenhum passageiro seja transportado em pé.

Porém, a BHTrans tomou conhecimento de que houve viagens com pessoas em pé e notificou as empresas responsáveis por tal descumprimento. A população que não pode estar em total isolamento social neste momento também pode contribuir com informações deste tipo por meio do aplicativo PBH APP e relatar caso de desobediências das recomendações de apenas passageiros assentados nos ônibus. Além disso, as estações estão sendo filmadas por funcionários a fim de evitar que filas e aglomerações no local.

Fonte: jornal Estado de Minas

*Foto: Divulgação / Juarez Rodrigues/EM/D.A Press