Linhas de ônibus de Niterói estão mais escassas, denunciam passageiros

Ônibus de Niterói, pertencentes ao consórcio Transnit desapareceram, especialmente as linhas 28 e 29

Mesmo com a flexibilização e da retomada do trabalho presencial em vários setores da economia em Niterói, passageiros têm denunciado escassez das linhas do município.

Houve casos em que os coletivos sumiram completamente das ruas. Apenas quando denúncias de passageiros vieram à tona por meio do programa “Bom dia Rio”, da TV Globo, é que a prefeitura da cidade notificou o consórcio Transnit. Sendo assim, a empresa terá que colocar as linhas 28 e 29 de volta às ruas. Elas são as responsáveis por interligar os bairros da zona norte ao centro de Niterói.

Vale lembrar que a pandemia de Covid-19 gerou ao setor de transportes o pior ano de sua história.

Linhas de ônibus de Niterói em escassez

Para a professora de dança Leila Sobral, moradora do bairro Barreto, que precisa se deslocar para cuidar da mãe doente, a escassez de linhas de ônibus de Niterói dificulta seu dia a dia:

“As linhas 28 (Largo do Cravinho x Centro, via Alameda) e 29 (Largo do Cravinho x Centro, via Rodoviária) sumiram. Os que fazem os dois itinerários do 42 (Barreto x Terminal e Barreto x Centro, via Amaral Peixoto) têm demorado demais, e o 67 (Morro do Castro x Centro) sempre sai lotado do ponto.”

Um único sentido para os ônibus de Niterói

Todavia, reclamação diferente partiu da aposentada Vera Lúcia Lopes, moradora do bairro Fonseca. Ela afirma que a linha 43 (Fonseca x Centro x Icaraí) só passa na rua Vinte e Dois de Novembro, no sentido Noronha Torrezão:

“Só passa subindo. Eles devem pensar que para descer todo santo ajuda e podemos ir a pé. Só pode.”

Posicionamento da Subsecretaria Municipal de Transportes

No entanto, na última quinta-feira (13), a Subsecretaria Municipal de Transportes intimou o consórcio Transnit a retomar a prestação do serviço nas linhas 28 e 29. Caso a empresa não obedeça, receberá multa diária no valor de R$ 1.400 até que os ônibus de Niterói operados por eles voltem a circular.

A prefeitura lembra que este tipo de política via decreto autorizou a redução da frota no período mais grave da pandemia. No entanto, o texto não previa a extinção de linhas regulares.

Setrej

Em contrapartida, o Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário (Setrerj) não respondeu por que as linhas 28 e 29 saíram de circulação. A entidade explicou em nota apenas que, mesmo com a flexibilização, a demanda é baixa:

“As empresas estão adaptando horários às demandas, com o cuidado sanitário de prevenção contra o coronavírus, ao mesmo tempo em que tentam, com muito esforço, manter sua sustentabilidade financeira e o emprego de funcionários.”

Depois de ser notificada, a entidade afirmou que voltaria a colocar todas as linhas em circulação a partir de segunda-feira (17).  

*Foto: Divulgação/ Fabiano Rocha / Agência O Globo