Monte Verde não tem mais vagas aos fins de semana desde junho

Monte Verde não tem mais vagas, operando com 60% dos leitos comprometido, e frio já está abaixo de zero grau para quem pretendia passar alguns dias de férias na cidade do Sul de Minas Gerais

Com o inverno cada vez mais presente no Brasil, o Sul de Minas Gerais costuma ser um dos destinos preferidos de turismo para muitos brasileiros. No entanto, que deixou sua programação para última hora, perdeu a chance de passar pelo menos um fim de semana em Monte Verde. Isso porque Monte não tem mais vagas desde fim de junho. O local é bastante conhecido pelos recordes negativos de temperatura no estado mineiro.

Monte Verde não tem mais vagas para as férias de julho

O distrito que pertence à cidade de Camanducaia, no sul mineiro, já estava próxima da lotação máxima também durante a semana no mês passado.

De acordo com a Move (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região), os hotéis estavam com 90% de ocupação. Vale lembrar que os protocolos sanitários permitem a utilização de 60% dos leitos.

Segundo a presidente da Move, Rebecca Wagner:

“A gente publica fotos nas redes sociais, manda para os veículos de comunicação, e é instantâneo. As pessoas lembram de Monte Verde na hora. A ocupação da rede hoteleira está bem, próximo de 90% nos dias da semana. O frio ajuda e a gente precisa.”

Para se ter uma ideia no fim de junho, o distrito marcou a temperatura mais baixa do ano no estado de Minas Gerais, com -2,7ºC. No total, Monte Verde tem 10 mil leitos de hospedagens. Desses, 6 mil estão disponibilizados em decorrência da pandemia de Covid-19. Rebecca complementa:

 “A chegada do frio atrai o turista por ser um destino turístico de inverno. Mas o que nos surpreende é a ocupação já ter, com muita antecedência, chegado aos 100% em todos os finais de semana da alta temporada. Isso é um reflexo tanto da pandemia, como do frio mesmo.”

Gonçalves também já tem lotação máxima

A cidade mineira de Gonçalves também está com lotação máxima. Além disso, nos últimos anos, as pousadas da cidade vêm atraindo cada vez mais turistas que desejam curtir o frio regado a um bom vinho, lareira e uma hidromassagem quentinha.

Por conta de todas as pousadas do município do Sul de Minas ficarem na zona rural, e meio à natureza, os dias de inverno são um espetáculo à parte. Há noites cheias de estrelas, manhãs com geadas na relva e tarde de céu azul.

Assim como em Monte Verde, o local já não possuía mais acomodações disponíveis aos fins de semana no fim de junho. em razão da pandemia, os estabelecimentos funcionam com 50% da capacidade total. Há em torno de 30 pousadas em Gonçalves.

Para Marília Ribeiro, gerente da Pousada e Restaurante Vida Verde:

“As baixas temperaturas atraem as pessoas que querer curtir a estação mais fria do ano com muito conforto e aproveitando a aconchegante infraestrutura das pousadas de Gonçalves. Nossos hóspedes, por exemplo, não passam frio, pois nossos chalés são equipados com água quente em todas as torneiras, lareira, hidromassagem, além do lençol térmico que deixa a cama quentinha a noite toda.”

Ela conclui em declaração ao Jornal de Minas:

“Frio só lá fora, aqui dentro só tem espaço pra relaxar com um bom vinho e fondue.”

*Foto: Divulgação