Moradores de Niterói querem suspensão de obra de posto salva-vidas

Posto salva-vidas seria construído sobre restinga de Itacoatiara, na cidade litorânea do estado do Rio de Janeiro

Dois novos postos de salva-vidas com previsão de entrega para este mês, localizados na Praia de Piratininga, em Niterói, já se encontram em etapa final de construção. Na região de Itaipu, a estrutura já foi terminada. Agora, falta apenas o acabamento e a instalação da cobertura para que a obra seja liberada no mês que vem.

Pedido de suspensão do posto salva-vidas em Itacoatiara

No entanto, em Itacoatiara, foram iniciadas há duas semanas as fundações para a construção do equipamento. Ao mesmo tempo, residentes desta região pedem que a obra seja suspensa. Para o desejo acontecer, a Sociedade dos Amigos e Moradores de Itacoatiara (Soami) realizou uma representação junto ao Ministério Público estadual, solicitando a transferência do local, pois a área escolhida para a construção está situada sobre a restinga, que pertenceria à Zona de Amortecimento do Parque Estadual da Serra da Tiririca (Peset). Em contrapartida, a prefeitura esclarece que o terreno foi definido de modo estratégico para que houvesse uma melhor atuação por parte dos bombeiros desta localidade.

Construção em Itacoatiara

O posto salva-vidas de Itacoatiara está sendo erguido na Avenida Beira Mar, perto do trevo principal da praia. Segundo dados que constam no projeto, o equipamento possuirá dois pavimentos, depósito, banheiro e uma sala que vai funcionar como observatório para os bombeiros. O licenciamento da obra foi aprovado pela Secretaria Municipal de Recursos Hídricos e Sustentabilidade. Além disso, a prefeitura afirma, sem divulgar prazos e muito menos anunciar o local, que será feita uma medida compensatória com replantio da vegetação nativa perdida durante a obra. Sobre isso, Eugênio Schitine, presidente da Soami, argumentou:

“Nós queremos o posto, precisamos dele, mas não pode ser naquele local. Nossa restinga é original e foi revitalizada em 2009 com 50 caminhões de areia e o apoio de biólogos e geólogos. O que nós defendemos é que esse posto seja instalado fora da restinga, em frente à praça, no lugar de uma vaga de carro.”

Posto salva-vidas – ponto de vista da Emusa

De acordo com a Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento (Emusa), que é a responsável por executar as obras, o projeto de construção de um terceiro posto para salva-vidas em Piratininga estaria sendo analisado.

Já em Camboinhas, será iniciado a construção do equipamento em dezembro, no Recanto. Os investimentos para poderem viabilizar as construções foram no valor de R$ 842 mil, que faz parte do Programa Região Oceânica Sustentável (PRO-Sustentável).

Agora, resta aguardar decisão do pedido dos moradores de Itacoatiara para saber se a obra que estava sendo erguida sobre a restinga será paralisada de fato.

Fonte: O Globo

*Foto: Divulgação / Fábio Guimarães – Agência O Globo