OS Pró-Saúde: Hospitais gerenciados pela associação se unem em campanha para doação de sangue no Pará

Após quatro meses do anúncio do estado de calamidade provocado pela pandemia de Covid-19 em todo o Brasil, muitas pessoas mudaram seus hábitos, deixando de sair de casa todos os dias, seja para trabalhar ou praticar outras atividades. Essa última parte engloba a doação de sangue, impactada pelo período de quarentena, de acordo com a Fundação Centro de Hemoterapia e Hematologia do Pará (HEMOPA). O local é responsável em fornecer bolsas de sangue às unidades da rede estadual de saúde. Sendo assim, pela queda nas doações, existe o risco de não prosseguir com os atendimentos de saúde.  Diante desta realidade preocupante, os setes hospitais públicos gerenciados pela OS Pró-Saúde no Pará decidiram se unir no mês passado para colocar em prática uma campanha que visa o incentivo à doação de sangue no estado.

Junho Vermelho

O início da campanha aconteceu exatamente nesta época do ano, em que é conhecida também como Junho Vermelho, em reverência ao mês dedicado à conscientização da importância de elevar o número de doadores de sangue.

A organização social OS Pró-Saúde atua no estado paraense com unidades na capital e também no interior. Fundada em 1967, a entidade presta atendimento de alta complexidade, como: hemodiálise, tratamentos oncológicos e atendimentos de urgência e emergência, o que demanda uma grande quantidade de bolsas de sangue todos os meses.

Outras enfermidades continuam

Embora a atenção atual gire em torno do novo coronavírus, outros atendimentos permanecem, em decorrência, por exemplo, de acidentes de trânsito e domésticos. Além disso, pacientes oncológicos necessitam de tratamento contínuo, que são os casos das hemodiálises e outros procedimentos que precisam de transfusões. Em suma, é vital que os bancos de sangue estejam abastecidos para atender a todos.

Sobre isso, a responsável pela Agência Transfusional do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), em Belém, a enfermeira Kérina Quaresma, fala da importância da doação de sangue neste período de pandemia:

“O apoio de todos é fundamental para mantermos nosso estoque regular e assim, suprir a nossa demanda. Por isso, precisamos que pessoas com boa saúde e que estejam dispostas a doar, dirijam-se ao Hemopa ou encaminhe seus familiares e amigos para a doação.”

Hospitais com estoque abaixo do esperado nas unidades da OS Pró-Saúde

Em contrapartida, em maio, dois hospitais do estado iniciaram suas campanhas, em função do baixo estoque. São eles: Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, e o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém.

Todavia, no mês passado se juntaram a eles os seguintes centros de saúde também gerenciados pela OS Pró-Saúde: Hospital Materno-Infantil de Barcarena; Hospital Regional do Sudeste do Pará, em Marabá; Hospital Regional Público da Transamazônica, em Altamira; e Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém.

A gerente de qualidade do Hospital Oncológico Infantil, Viviane Lesses, reforça a necessidade da pessoa sair de casa para praticar esta boa ação que pode salvar vidas:

“Estamos pedindo para o doador de sangue a sair de casa para realizar esse ato heroico. A população brasileira é reconhecida por sua postura solidária e certamente dará mais este bom exemplo. Mobilizamos nossos colaboradores, convidados e toda a sociedade para participar dessa corrente de amor.”

Locais de doação em Belém

Em Belém, as doações podem ser realizadas na sede da Fundação HEMOPA, no endereço: Rua Padre Eutíquio, 2109, bairro de Batista Campos.

Contudo, na hora de doar, a pessoa deve informar o código do Hospital que receberá as doações. No Hospital Galileu, código 1624; no Materno Infantil de Barcarena, 2093; no Hospital Oncológico Infantil, 1766; e no Hospital Metropolitano, 708.

OS Pró-Saúde de Altamira

Outros dois municípios também necessitam de doação. Na cidade de Altamira, a pessoa pode se dirigir ao Hospital Regional Público da Transamazônica (HRPT), que é o único na Região de Integração do Xingu a possuir uma Agência Transfusional.

OS Pró-Saúde de Santarém

Já no município de Santarém, a doação é feita no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). Por se tratar de uma unidade da OS Pró-Saúde de média e alta complexidade, além de referência no tratamento oncológico no Norte do país, o local necessita frequentemente de plaquetas para poder dar conta da demanda dos pacientes que estão em tratamento. Sendo assim, sem o número ideal de plaquetas, os pacientes não conseguem seguir com o tratamento e não podem passar por intervenções cirúrgicas, já que as plaquetas são as responsáveis por evitar possíveis hemorragias durante a cirurgia.

Os residentes de Santarém e região podem doar sangue no Hemocentro Regional de Santarém. Na intenção de evitar aglomerações, esta unidade HEMOPA recebe os doadores com hora marcada. Os agendamentos são realizados por meio do telefone (93) 99120-7170, para atendimentos de segunda a sexta, das 7h às 13h.

Quem pode doar?

As pessoas que querem doar sangue nos sete locais gerenciados pela OS Pró-Saúde precisam estar enquadrados em alguns critérios. São eles:

  • Estar bem alimentado (não é necessário estar em jejum);
  • Apresentar boa saúde;
  • Pesar mais de 50kg, ter idade de 16 a 69 anos (menor de idade deve comparecer com responsável legal, e os maiores de 60 anos já devem ter feito a primeira doação em até 60 anos, caso contrário, não poderá doar); Ter descansado mais de 6h na noite anterior;
  • Apresentar documento legal com foto;
  • Em caso de ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva, a pessoa de aguardar por pelo menos 1 ano para poder doar.

Restrições em relação à pandemia

Por conta da pandemia de Covid-19, algumas restrições foram impostas para a doação:

  • Aguardar 30 dias para quem teve Covid-19 comprovadamente (sem sintomas e sequelas);
  • Aguardar 14 dias para quem teve contato com pessoas infectadas ou se teve algum sintoma sugestivo.

*Foto: Divulgação/ Site Pró-Saúde