Osasco: biometria facial nos ônibus causa bloqueio de benefícios

Biometria facial fez prefeitura bloquear 200 benefícios por mês, entre pessoas com deficiência e idosos

No início deste ano foi implantado nos ônibus municipais de Osasco, na Grande São Paulo, o sistema de biometria facial. Apesar do avanço da tecnologia, a novidade tem gerado problemas a idoso e pessoas com deficiência física.

Durante o primeiro semestre de 2019, 1.203 bilhetes foram cancelados. Porém, os usuários das linhas municipais têm protestado sobre a falta de informação em relação ao sistema, fora os desafios enfrentados para se chegar até a catraca.

De acordo com a prefeitura, a tecnologia foi implementada com a intenção de impedir fraudes e garantir a segurança.

Biometria facial – bloqueios

Os usuários dos cartões eletrônicos Bem Sênior e Bem Especial, que tenham mais de 65 anos ou deficiência são isentos de tarifas.

Apesar de ser um item tecnológico para facilitar o dia a dia, os bloqueios de bilhetes nestas categorias aconteceu em função de o sistema de biometria fácil do proprietário do bilhete cadastrado não realizar o reconhecimento da face na hora de passar o cartão na catraca. Segundo os próprios usuários, estes bloqueios estão sendo realizados em virtude de equívocos no momento de cobrar a passagem.

Em entrevista à Folha, a aposentada Ana Maria, de 66 anos, afirmou:

“O cartão do meu marido foi bloqueado duas vezes. Na segunda vez, como ele não estava conseguindo passar, o próprio cobrador pegou o cartão e colocou na máquina, com isso a câmera registrou o rosto do cobrador e bloqueou na hora. Acho que falta informação sobre como funciona.”

Outra questão importante é que antes do sistema ser implantado, estas pessoas pediam ajuda de outros usuários, que acabavam passando o bilhete por eles na catraca. Com isso, eles conseguiam descer do ônibus pela porta da frente sem correr riscos como quedas dentro do veículo, por exemplo.

Problemas de locomoção

Já as pessoas com deficiência e que possuem dificuldade para se locomover ainda têm dúvidas sobre as informações passadas pela central de cadastramento e renovação do benefício do Bem Especial.

Funcionários afirmam que com a nova função, os beneficiados possuem direito a cadastrar no sistema de biometria facial apenas uma pessoa como acompanhante. Esta pessoa deverá acompanhar o beneficiado, não podendo ser substituída, já que a tecnologia não seria capaz de reconhecer outro acompanhante em seu lugar.

Antes da instalação das câmeras de reconhecimento facial, tinha um único cadastramento, porém, qualquer cidadão maior de 18 anos podia acompanhar a pessoa com deficiência nos ônibus municipais.

Com os bloqueios e falta de informação, muitos usuários têm preferido abrir mão de seus direitos e optarem por bilhetes sem o benefício do acompanhante. É o que conta a dona de casa Sandra Moraes, de 48 anos, que se locomove com a ajuda de uma bengala:

“Antes meu filho mais velho estava cadastrado, mas eu podia andar acompanhada de qualquer outra pessoa de minha confiança”.

E complementou:

“Agora não pode mais, querem que a gente escolha entre ter o direito ou correr risco andando sozinha.”

Nota da prefeitura sobre bloqueios de biometria facial

A Prefeitura de Osasco divulgou em nota que os beneficiados podem seguir com a prática do desembarque pela porta da frente. No entanto, destacou a necessidade de ir até a catraca, onde está posicionado o leitor de biometria facial:

“No caso de pessoas idosas ou deficientes que não consigam passar a catraca, eles podem desembarcar pela porta dianteira, porém precisam ir até a catraca para passar o cartão, devido ao reconhecimento facial.”

Quando perguntada se haveria a possibilidade de implementar um leitor de cartões na região dianteira do ônibus para ser usado por idosos e pessoas com deficiência física ou intelectual, a assessoria da prefeitura afirmou que o sistema não possibilita este tipo de adequação.

Todavia, a prefeitura reconheceu que as informações prestadas pela central em relação aos acompanhantes de pessoas com deficiência foram passadas de forma equivocada e que, portanto, tais regras não foram alteradas:

“No sistema é cadastrado apenas um acompanhante. Porém, no momento que o requerente for utilizar o cartão, ele poderá passar com qualquer pessoa maior de idade.”

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação