Primeira fábrica de vagões ferroviários do país ganha exposição

A Fábrica Nacional de Vagões (FNV) foi a primeira fábrica do país de vagões ferroviários e que agora ganha uma exposição, aberta ao público, onde será contada toda sua história, a partir desta sexta-feira (1), na cidade de Cruzeiro, a 219 km de São Paulo.

A FNV foi fundada em 22 de outubro de 1943, no Rio de Janeiro, sob a era de Getúlio Vargas (1822-1954). Dois anos depois, a sede foi transferida para Cruzeiro, no interior paulista. A companhia possui um histórico de atuação no setor ferroviário, mas não é só isso.

Exposição sobre os vagões ferroviários

A exposição sobre a FNV é composta por imagens fotográficas, intitulada: “Fábrica: história, memórias e vidas em Cruzeiro”. O conteúdo revela a história da primeira indústria brasileira de vagões ferroviários, além do cotidiano do município de Cruzeiro. Esta mostra foi aberta na última sexta-feira (25), no museu Major Novaes.

Além disso, uma fatia da exposição do acervo fotográfico foi montada pela AmstedMaxion, originária da Fábrica Nacional de Vagões. Esta companhia nasceu numa época em que Vargas pretendia fortalecer a indústria do país e expandir as ferrovias no Brasil. Em 1948, foram produzidos os primeiros vagões com estrutura metálica da FNV.

Naquele tempo, acontecia a Segunda Guerra Mundial, em que o surgimento desses vagões ferroviários antecedeu a piora do cenário econômico do setor, iniciado na década de 1950.

Aquela época foi marcada pelas primeiras demissões em massa em companhias de trens e também a transformação de estações em simples pontos de parada de composições.

História da primeira fábrica de vagões ferroviários

A Fábrica Nacional de Vagões nos anos 1950, já instalada em Cruzeiro, viveu um período em que a linha de atuação da empresa era diversificada, passando a trabalhar também no segmento rodoviário, que sofreu grande desenvolvimento desde então no país.

Em 1956, caminhões e automóveis começaram a ser fabricados e as longarinas, em 1958. A partir de 1990, o grupo Iochpe-Maxion assumiu o comando da companhia. Oito anos depois, ela foi dividida em duas empresas distintas. Uma ligada ao setor ferroviário e a outra em autopeças e implementos rodoviários.

Já em 2000, surgiu joint-venture entre a Iochpe-Maxion e a norte americana Amsted Industries, se transformando em AmstedMaxion.

Informações

A exposição sobre a primeira fábrica de vagões ferroviários do Brasil (FNV) pode ser visitada de segunda a sexta, das 8h às 17h, no museu Major Novaes, situada à av. Jorge Tibiriçá, s/nº, Vila Canevari, em Cruzeiro. A entrada é gratuita.

Para maiores informações, acesse o Facebook da instituição.

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação