Projeto Águas de São Cristóvão ganha prêmio de sustentabilidade

Projeto Águas de São Cristóvão proporcionou uma política hídrica que expandiu a rede de abastecimento de água do município sergipano

A pequena cidade de São Cristóvão, no interior do Sergipe, hoje pode afirmar que está rica, como diz um de seus moradores, residente na comunidade de Brasilinha. O motivo de tanta felicidade é pelo fato de agora eles poderem contar pela primeira vez com água tratada em praticamente 100% das casas do município que possui cerca de 90 mil habitantes.

Projeto Águas de São Cristóvão

O projeto Águas de São Cristóvão foi iniciado dois anos atrás. A iniciativa ganhou os holofotes em território nacional quando conquistou a primeira colocação na 3ª edição do Prêmio Cidades Sustentáveis, que teve como tema: Acesso a Serviços, categoria que engloba pequenos municípios.

O reconhecimento aconteceu duas semanas atrás em um evento no Parque do Ibirapuera, em São Paulo, durante a Conferência Catalisando Futuros Urbanos Sustentáveis.

A tarefa nada fácil que contemplou o pequeno município sergipano, levou em consideração a representação e o poder que as pequenas cidades brasileiras podem ter na promoção de uma melhor qualidade de vida a seus cidadãos. A escolha contou com especialistas e organizações parceiras do Programa Cidades Sustentáveis.

Inovação do projeto Águas de São Cristóvão

O projeto inovador priorizou uma gerência associada aos recursos hídricos, focados em três pilares: acesso à água como direito, gestão participativa e qualidade dos serviços e produtos.

A iniciativa contou com apoio público municipal, também premiado, que se preocupou em conectar as ações aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, especialmente no que diz respeito ao terceiro objetivo, “assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades”, e ao sexto objetivo, que visa “assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos”.

Além disso, o que chama bastante a atenção também é a preocupação dos gestores em classificar a relação com os habitantes de São Cristóvão. Os serviços possuem um padrão de qualidade em sua captação, tratamento e abastecimento de água, que são repassados por meio de mensagens nas contas de água, notas no jornal local e no site da prefeitura.

Os padrões de qualidade dos serviços de captação, tratamento e abastecimento de água são divulgados por meio de mensagens nas contas de água, notas no jornal local e no site da prefeitura.

Os canais da prefeitura, como linhas telefônicas, também estão disponíveis para que os moradores de São Cristóvão façam solicitações ou reclamações.

Números impressionam

Os residentes do pequeno município estão satisfeitos com o serviço prestado neste período de execução, que ainda impressiona pelos números. É o caso do indicativo de aumento do volume de água, represada com o alargamento do minante do Banho Morno e Rio das Moças, que foi expandido em 30%, além da perfuração de sete novos poços tubulares, para que a capacidade seja elevada em aproximadamente 18 mil litros/hora. Em menos de dois anos, também houve a implantação de mais de cinco mil metros de rede de abastecimento de água; interiorização das ações para quase doze povoados, além do Centro Histórico.

Visibilidade

Segundo os organizadores da premiação, realizar a cerimônia de entrega do Prêmio Cidades Sustentáveis, em meio à programação de uma conferência internacional que reuniu mais de 1.200 especialistas do setor de 201 cidades e 40 países, fez com que municípios como São Cristóvão ganhassem visibilidade por meio de histórias tão bem-sucedidas.

Além disso, o objetivo da premiação é incentivar as boas práticas sustentáveis em todo o país, independente de seus recursos financeiros. Pois, tal iniciativa como a do projeto Águas de São Cristóvão possuem um caráter multiplicador e podem inspirar outras cidades brasileiras a seguirem este exemplo.

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação / Heitor Xavier